Anoreg RS

Clipping – GaúchaZH – Quem é a mulher que se tornou a única tabeliã de Porto Alegre

Por conta da alta demanda ocasionada pela pandemia da covid-19, o 7 º Tabelionato de Notas de Porto Alegre deve que mudar para um espaço maior.

A mudança de sede foi comandada por Rita Bervig Rocha, primeira mulher à frente do tabelionato em 63 anos. A tabeliã é nascida em Canoas é a única comandante dos 14 tabelionatos da capital gaúcha.

Rita reconhece que ainda é uma exceção e torce para que um dia não seja mais a única mulher à frente de um tabelionato em Porto Alegre: 

— Quando eu fiz concurso público, eram cerca de 3 mil candidatos do Brasil todo, embora seja um concurso estadual. Entre os 10 primeiros classificados, éramos apenas três mulheres. É uma profissão que exige disciplina nos estudos, o que muitas mulheres não são incentivadas a fazer. Acredito que ao ver que outra mulher aprovada, isso incentive as demais e, assim, possamos ultrapassar a estigma da ‘única’ nos espaços.

Com 11 de carreira, Rita já atuou como registradora civil no Estado da Bahia. Além disso, exerceu a função de pública de juíza leiga perante o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, e atuou como advogada entre os anos de 2010 e 2016. No comando do 7º Tabelionato desde o final de 2019, poucos meses depois de assumir o cargo, a pandemia obrigou a tabeliã a planejar a mudança da sede.

— A sede antiga tinha 350 metros quadrados. Com a pandemia, infelizmente,  tivemos aumento no registro de óbitos. Além disso, muitas pessoas compraram ou venderam imóveis, aumentou significativamente e de forma muito rápida, a demanda por inventários. Em maio começamos a planejar a mudança, foram sete meses e meio de obra — detalha.

Localizada na Rua 24 de Outubro, 828, bairro Moinhos de Vento, a nova sede do tabelionato tem 700 metros quadrados. Além de ampliar o espaço, foi necessário reforçar a equipe por aumento da demanda. Desde o início da pandemia, 15 novos funcionários foram contratados. Além de inventários, os tabelionatos também realizam serviços como autenticação de documentos, reconhecimento de firmas e procurações.

Fonte: GaúchaZH