Anoreg RS

Anoreg/RS entrevista a corregedora-geral da Justiça do Rio Grande do Sul, desembargadora Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak

 

Nesta série especial de entrevistas em comemoração ao aniversário de 25 anos da Associação dos Notários e Registradores do Rio Grande do Sul (Anoreg/RS), a entidade busca contar um pouco de sua história, de sua atuação e das grandes conquistas da atividade notarial e registral gaúcha, através do relato daqueles que já contribuíram e contribuem atualmente com a classe extrajudicial.

Abrindo a série de entrevistas de forma especial, a Anoreg/RS conversou com a corregedora-geral da Justiça do Rio Grande do Sul, desembargadora Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak. Ela falou sobre sua experiência à frente da CGJ-RS, a interlocução entre a Anoreg/RS e a Corregedoria, o futuro da atuação extrajudicial e ainda deixou uma mensagem para os notários e os registradores gaúchos.

Acompanhe!

 

Anoreg/RS – Como avalia a atuação da Anoreg/RS para a categoria extrajudicial?

Des. Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak – A Associação dos Notários e Registradores do Rio Grande do Sul (Anoreg/RS), como entidade representativa dos notários e registradores do Estado tem importante atuação, pois, além da defesa dos interesses de seus associados, tem buscado o aperfeiçoamento dos serviços notariais e registrais, com iniciativas para alterações legislativas importantes e necessárias, bem como a modernização e a estruturação dessas atividades e, com isso, proporcionar à sociedade gaúcha excelência na prestação de serviços extrajudiciais.

Anoreg/RS – Qual a importância da entidade junto à Corregedoria Geral da Justiça do RS?

Des. Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak – Vejo como extremamente relevante o constante diálogo entre a CGJ/RS e a Anoreg/RS, pois, dada sua representatividade, essa interlocução permite o constante aprimoramento dos serviços extrajudiciais, com a busca de soluções conjuntas para melhor atender aos cidadãos que necessitem  praticar atos notariais e registrais.

Anoreg/RS – Qual sua visão sobre o futuro da atuação extrajudicial na prestação dos serviços?

Des. Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak – Penso que com as facilidades do mundo virtual cada vez mais o cidadão poderá obter a prestação de serviços dos cartórios extrajudiciais de forma célere e sem necessidade de deslocamentos. Porém, o grande desafio será conciliar as atividades, de modo que aqueles, sem acesso às plataformas digitais, à internet e aos meios tecnológicos não fiquem alijados ou privados da boa prestação dos serviços.

Anoreg/RS – Como tem sido sua experiência à frente da CGJ-RS?

Des. Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak – Tem sido um constante desafio dada a abrangência das atividades desenvolvidas no âmbito da CGJ-RS, pois, além da fiscalização, disciplina e orientação administrativa à justiça estadual de primeiro grau e às serventias extrajudiciais, desenvolve projetos e ações voltadas à eficiência desses serviços. Hoje temos, no RS, 165 comarcas, 772 unidades judiciais e 747 serventias extrajudiciais. Além do desafio natural de coordenar todas essas atividades, neste biênio 2020/2021, fomos surpreendidos pelo advento da pandemia que nos obrigou a buscar alternativas para mantermos os serviços em funcionamento, sem que houvesse prejuízo aos cidadãos, porém, mantendo o foco na preservação da saúde de todos.

Anoreg/RS – Como avalia a importância dos serviços cartorários para a população?

Des. Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak – Os serviços extrajudiciais são de suma importância para a população, pois, fazem parte da vida do cidadão desde o seu nascimento. Inúmeros atos imprescindíveis para o exercício da cidadania dependem da atuação dos cartórios extrajudiciais. Além disso, promovem desburocratização e desjudiciaização das relações privadas, bem como segurança na realização dos atos notariais e registro, dada a qualidade e seriedade com que são exercidas essas funções delegadas pelo poder público.

Anoreg/RS – A Anoreg/RS completa 25 anos de existência em 2022. Qual mensagem a senhora deixa para os notários e registradores e o que esperar nos próximos 25 anos no que diz respeito aos serviços notariais e de registro?

Des. Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak – Em primeiro lugar, cumprimentos pela efetiva e constante atuação da Anoreg/RS na sua missão de fortalecer os notários e os registradores, os representando junto aos poderes competentes e, especialmente, pelo empenho em  buscar a excelência das serventias extrajudiciais do Rio Grande do Sul. Estendo os cumprimentos a todos os notários e os registradores do estado que se esforçam em proporcionar um serviço de qualidade aos nossos usuários. Desejo que os próximos anos sejam de muitos avanços no sentido de viabilizar e facilitar, cada vez mais, o acesso aos atos notariais e registrais a toda a população, conjugando o uso da tecnologia com a humanização dos serviços.