Anoreg RS

Cartórios de Protesto e Polícia Civil se reúnem para tratar da investigação de golpe que imita cobrança de dívida

O presidente do Instituto de Estudos de Protesto do Rio Grande do Sul (IEPRO-RS), Romário Pazutti Mezzari, acompanhado do presidente da Associação de Notários e Registradores do Estado (ANOREG/RS), João Pedro Lamana Paiva, esteve reunido, nesta quinta-feira (11/08), com o Chefe de Polícia do Estado, delegado Fábio Motta Lopes, para tratar de novo golpe envolvendo a cobrança falsa de dívidas.

Durante a reunião, o presidente Mezzari solicitou à Polícia que os crimes cometidos por estelionatários contra os devedores gaúchos sejam investigados. “Esse golpe é ainda mais complexo que os demais estelionatos, pois envolve pessoas que já estão com problemas financeiros e ficam em uma situação ainda pior”, salienta o presidente.

O Chefe de Polícia destacou que é fundamental a realização de um Boletim de Ocorrência. “Orientamos que, após sofrer o golpe ou tentativa de golpe, a vítima comunique à Polícia Civil, para que seja possível avançar nas investigações”.

Estiveram presentes na reunião, também, o coordenador do IEPRO-RS, Filipe Coelho, o assessor jurídico do IEPRO-RS, Leo Almeida, o Subchefe de Polícia, delegado Vladimir Peukert Urach, o diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), delegado Sander Cajal e o delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos e Defraudações (DRCID), André Lobo Anicet.

COMO FUNCIONA O GOLPE:

Os estelionatários enviam boletos falsos para os devedores, onde constam o nome no devedor, o valor da dívida e nomes fictícios ou até mesmo verdadeiros de Tabeliães de Protesto. O boleto sempre apresenta algum erro de informação e a conta para deposito é do CPF do golpista ou do laranja.

Além do boleto falso, também está circulando um documento, virtual ou físico, com o brasão do Governo Federal e um texto que induz o pagamento da dívida através de um QRCODE. Essa modalidade de cobrança não existe.

COMO IDENTIFICAR O BOLETO FALSO:

O documento costuma apresentar erro no nome da Instituição que realiza a cobrança, do tabelião ou favorecido que está cobrando.

As intimações e cobranças são realizadas pelo Cartório de Protesto da cidade do devedor, nunca por uma instituição federal ou estadual. É comum, também, os boletos possuírem erros de português e logomarcas falsas.

Por isso, se o devedor tiver dúvidas da veracidade do documento, é necessário entrar em contato com o Cartório da sua cidade e confirmar os dados antes do pagamento.

COMO PROCEDER:

Se houver a constatação de golpe ou tentativa de golpe é preciso que a vítima realize de imediato um Boletim de Ocorrência, para que a polícia tenha conhecimento do crime. Informe, também, o Cartório de Protesto da cidade.
Neste link é possível encontrar endereços e contatos: https://protestors.com.br/encontre-um-cartorio

PRECISA DE AJUDA?

Se você recebeu um boleto para pagamento da dívida e tem dúvidas da veracidade, entre em contato com o Instituto de Protesto do Rio Grande do Sul pelo telefone: (51) 3062-0745 ou [email protected]