Anoreg RS

Cerimônia de requinte marca a abertura do XXII Congresso da AnoregBR e I da AnoregPR

O evento foi realizado na manhã desta quinta-feira (17.11) no Castelo do Batel, em Curitiba (PR)

Uma cerimônia de requinte, tendo um castelo como cenário com decoração e arquitetura próprias, marcou a solenidade de abertura do XXII Congresso da AnoregBR e I da AnoregPR, evento realizado pela Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR), Associação dos Notários e Registradores do Estado do Paraná (Anoreg/PR) e Academia Paranaense de Direito Notarial e Registral, na manhã desta quinta-feira (17.11). Cerca de 400 pessoas, entre autoridades, presidentes e representantes de entidades notariais e de registro de todo o país, marcaram presença na abertura do evento realizado no Castelo do Batel, em Curitiba (PR). O presidente da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Rio Grande do Sul (Anoreg/RS), João Pedro Lamana Paiva, também esteve presente e acompanhou a cerimônia de abertura.

 

 

 

 

 

 

 

 

A mesa de abertura incluiu autoridades do poder judiciário e presidentes dos institutos paranaenses representantes dos cartórios de Registro Civil, de Registro de Imóveis, Registro de Títulos e Documentos, Tabelionatos de Notas e Tabelionatos de Protesto.

Compuseram a mesa o presidente da Anoreg/BR e da Confederação Nacional de Notários e Registradores (CNR), Rogério Portugal Bacellar; a presidente da Anoreg/PR, Mônica Maria Guimarães de Macedo Dalla Vecchia; o desembargador do TJ/SP e presidente da Academia Paranaense de Direito Notarial e Registral, Ricardo Henry Marques Dip; a juíza auxiliar do Corregedoria Nacional de Justiça no Conselho Nacional de Justiça, representando o ministro Luís Felipe Salomão, corregedor Nacional de Justiça, Carolina Ranzolin Nerbass.

Também fizeram parte da mesa o presidente da Associação dos Magistrados do Paraná, Jederson Suzin; o presidente do Instituto de Estudos de Notários e Registradores do Paraná, Cláudio Bley Carneiro; o presidente do Irpen, Mateus Afonso Vido da Silva; o presidente do IEPTB/PR, João Norberto França Gomes; o presidente do CNB/PR, Daniel Driessen Junior; o vice-presidente da Aripar, Luís Flávio Fidelis Gonçalves; e a presidente do IRTDPJ, Elisa De Fátima Dedecke Azevedo.

Abrindo a cerimônia, o presidente da Anoreg/BR, saudando todos os presentes na mesa solene, enfatizou a importância da realização do evento para a classe extrajudicial, desejando o sucesso do congresso para todos os presentes. “Declaro aberto o XXII Congresso da AnoregBR e I da AnoregPR agradecendo a presença de todos os presentes, estendo meus votos principalmente à doutora Mônica, presidente da Anoreg/PR, que preparou este evento com tanto amor e carinho”, disse Rogério Bacellar.

Em seguida, o presidente da Academia Paranaense de Direito Notarial e Registral deu enfoque na relevância dos estudos notariais e registrais para o futuro da classe extrajudicial. “O XXII Congresso da AnoregBR e I da AnoregPR foi idealizado para ser voltado à ciência dos estudos notariais e registrais, não sendo um congresso voltado a ideologias”, comentou. “É a persistência e militância para defender as notas e os registros que levarão à melhoria da profissão. As notas e os registros são os senhores”, encerrou Ricardo Dip.

Representando a Corregedoria Nacional de Justiça, a juíza Carolina Nerbass saudou a importância dos registradores, notários e representantes do poder judiciário para o futuro dos estudos extrajudiciais. “Pedindo licença às autoridades presentes na mesa solene, dedico uma especial atenção e saudação aos registradores e notários e toda a comunidade jurídica que nos ajudarão no futuro dos estudos extrajudiciais”, afirmou.

A juíza também enfatizou os trabalhos da Corregedoria em conjunto com o extrajudicial, como os benefícios do Sistema Eletrônico de Registros Públicos (Serp), que possibilitará o acesso, de forma remota e eletrônica, de cidadãos e de empresas aos serviços dos registros públicos, e os trabalhos de conciliação. “Acreditamos que as serventias serão grandes parceiras da Corregedoria em trabalhos como o Sistema Eletrônico de Registros Públicos, que representará um salto de representatividade nas serventias. É uma nova experiência do usuário nos cartórios”, completou.

Reforçando a importância do foro extrajudicial para desafogar o judiciário, a presidente da Anoreg/PR, Mônica Dalla Vecchia, também afirmou que o evento foi pensado em apresentar temas que estejam alinhados com poder extrajudicial e poder judiciário. “O evento que se inicia hoje foi idealizado em conjunto com a Amapar buscando levar conteúdos a todos os notários, registradores e demais profissionais do direito a respeito da desjudicialização”, falou. “É uma honra sediar esse evento que marca três anos da minha gestão e que realizamos com tanto esmero. Desejamos a todos um bom evento”, finalizou.

Homenagens

Encerrada a abertura oficial, os presidentes da Anoreg/PR, Anoreg/BR e Academia receberam dos vice-presidentes da instituição paranaense, Ítalo Conti Junior, Mariana Pozenato Martins e Ricardo Augusto Leão, a entrega de homenagens como reconhecimento da realização do congresso.

Em um momento muito significativo, o primeiro vice-presidente da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Paraná, Ítalo Conti Junior, e a segunda vice-presidente Mariana Carvalho Pozenato Martins em nome da diretoria da entidade, fizeram a entrega da maior honraria da instituição – a Comenda Araucária – para a primeira presidente mulher da história da Anoreg/PR, Mônica Dalla Vecchia.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Anoreg/PR e Anoreg/BR