Anoreg RS

“Ter boa saúde mental é bom para tudo”

Psiquiatra e psicoterapeuta Nélio Tombini concedeu entrevista especial à Anoreg/RS para falar sobre a saúde mental no ambiente de trabalho

O psiquiatra e psicoterapeuta Nélio Tombini concedeu entrevista especial à Associação dos Notários e Registradores do Estado do Rio Grande do Sul (Anoreg/RS) para falar sobre a importância de uma boa saúde mental no ambiente de trabalho.

“Acho muito saudável esse movimento de alguns cartórios de me chamarem para falar de um tema que não é ventilado e que nem está escrito nos livros, nem se acha na internet isso, porque é tema muito subjetivo”, destaca Nélio.

Leia a entrevista na íntegra:

Anoreg/RS – Como trabalhar a saúde mental no ambiente de trabalho?

Nélio Tombini – Trabalhar a saúde mental é o mesmo processo em qualquer ambiente: dentro de casa, no trabalho, com os amigos, acho que passa por dar atenção às pessoas, observar às pessoas, conversar com as pessoas. Se uma pessoa está mais irritada, uma liderança que chame a pessoa para conversar sem ameaças, sem críticas. Se a pessoa está mais abatida, a mesma coisa. Se uma pessoa está tratando mal dos clientes ou está faltando o trabalho, também chamar para conversar. Trabalhar a saúde mental é dar atenção para os outros, observar o que está acontecendo e ser de uma certa forma, a pessoa, o líder, o chefe, não importa o nome, ser continente. O que quer dizer continente?  Saber ouvir, escutar, dar conta, não se aborrecer, não ameaçar ou gritar. Isso é fundamental. Acontece que as pessoas, infelizmente, hoje em dia se preocupam muito mais em ter poder, serem reconhecidas, ganhar dinheiro, ter um destaque no seu trabalho, do que se preocupar efetivamente com a saúde metal dou outros e dela mesmo.

Anoreg/RS – É possível manter a saúde mental no cenário atual?

Nélio Tombini – Sim, a saúde mental precisa estar presente em qualquer cenário, até em uma guerra para que a gente possa se acalmar, em um desastre ela tem que estar presente. O cenário atual não é diferente porque situações de vida, como a pandemia que foi muito difícil, mas mais uma vez saúde mental ela só advém na medida que as pessoas têm mais intimidade com que elas são, como ela se importa, a importância que dá para o outro. Efetivamente, atualmente as pessoas estão mais distantes uma das outras, elas se preocupam menos com os outros, são menos intimistas, menos verdadeiras, menos confidenciais. As pessoas estão mais ligadas as suas mídias sociais como se ali fosse o grande encontro, como se ali se desse a participação, a troca de intimidade e de afeto, só que é uma farsa, é mentira, então as redes sociais, sim, vou afirmar, estão comprometendo a saúde mental das pessoas.

Anoreg/RS – Quais temas são destacados em seu trabalho juntos aos cartórios extrajudiciais?

Nélio Tombini – Quando faço palestras em cartórios ou qualquer outro lugar que me convidam, basicamente os temas são iguais, não faz diferença o local especificamente, mas é chamar a atenção para as pessoas, trazer relatos, eventualmente vídeos, entrevistas, mostrando como as pessoas se conhecem pouco, como as pessoas não se percebem, como as pessoas têm uma certa cegueira psicológica. Em qualquer ambiente de trabalho a minha participação é igual, não muda, é dar foco, colocar luz nos aspectos psicológicos nossos e nas situações que nos contornam, como quando a gente se aborrece, se irrita, quando as coisas não saem do nosso jeito. Acho muito saudável esse movimento de alguns cartórios de me chamarem para falar de um tema que não é ventilado e que nem está escrito nos livros, nem se acha na internet isso, porque é tema muito subjetivo. Uma maneira de desenvolver a saúde mental é trabalhar com whorkshops e palestras, o que já tenho feito em alguns cartórios de registro.

Anoreg/RS – Qual a importância de ter uma boa saúde mental para a prestação dos serviços?

Nélio Tombini – Ter boa saúde mental é bom para tudo. É bom para passear, para fazer um esporte, para namorar, para conversar com os amigos, para trabalhar, ou seja, a saúde metal é o pilar básico para que nossas relações possam ser mais prazerosas, satisfatórias, completas, mas infelizmente as pessoas não têm ideia assim muito clara do que é ter saúde mental. As pessoas hoje em dia buscam muito algo para mostrar, para representar, para que os outros enxerguem, elas não têm muita atenção com elas mesmo, as pessoas se exibem muito, exibindo coisas que as vezes não têm.

Anoreg/RS – Quais dicas sugere para que os cidadãos cuidem melhor da sua saúde mental?

Nélio Tombini – Eu tenho vários vídeos no YouTube que as pessoas podem assistir, várias entrevistas que também estão nas mídias sociais, tenho dois livros escritos, uma “A arte de ser infeliz: Desarmando armadilhas emocionais”, e o outro “Não deixe a vida te maltratar”, que até é um bom presente para se dar para as pessoas no fim de ano agora de Natal, porque os meus livros falam de maneira muito clara sobre os conflitos emocionais, os sofrimentos que advém de uma saúde mental comprometida. Não tem como não entender meus livros, é como se fosse sessões de psicoterapias escritas em algumas páginas.

Anoreg/RS – Como avalia a relevância da atividade notarial e registral no processo de desjudicialização e desburocratização dos serviços?

Nélio Tombini – É fundamental, porque a nossa vida tem que ser leve, tem que ser permeável. Eu, como médico, se uma pessoa me demanda eu preciso ser rápido para oferecer para a pessoa o que ela está buscando, ver se eu consigo alcançar para ela o que ela está necessitando e tentar tornar a vida dela menos sofrida o mais rápido possível. Em nossa vida quando a gente consegue fazer isso para as pessoas, como os cartórios estão fazendo, isso melhora a vida das pessoas, e também melhora a saúde mental das pessoas, as pessoas se sentem acolhidas, bem tratadas, valorizadas, então a conciliação sempre é fundamental, conciliação no sentido de ouvir, escutar, não é de concordar, mas ouvir, e às vezes só ouvir já é uma maneira de conciliar, sem querer ver quem vai ser o vitorioso nessa conversa.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Anoreg/RS